Pânico

Ir ao Pronto Socorro com sensação de estar tendo um “infarto agudo do coração” é comum em pessoas que experimentam o transtorno de pânico. Vivenciam períodos de intenso desconforto físico e mental, conhecidos como ataques de pânico, durante o qual experimentam falta de ar, sensação de sufocamento, tontura, formigamento, suor frio, dores, tremores, coração disparado e sensação de estar perdendo o controle de si. Tais pessoas ficam apavoradas diante da possibilidade de ter um novo ataque de pânico e passam a evitar situações que possam funcionar como gatilho. Em decorrência disso, não é incomum que passem a não mais conseguir sair de casa.

Na agorafobia, os pacientes sentem intenso medo desencadeado pela possibilidade de se envolver em situações como usar transporte público, estar em locais fechados (como um cinema) ou sair de casa sozinho. Passam a temer não a situação em si, mas a impossibilidade de conseguir ajuda ou não poder escapar se tiverem sintomas de pânico.

Cerca de 20% da população experimentou ou experimentará um ataque de pânico. No entanto, para configurar transtorno de pânico (com ou sem agorafobia) é necessário que os sintomas sejam recorrentes.

Podem ser usados medicamentos ansiolíticos, antidepressivos e terapias, como o treinamento do relaxamento, em que o indivíduo passa a ter controle sobre as reações corporais envolvidas durante o ataque do pânico.

Tags: Adulto, Criança e Adolescente, Idoso

Back to Top