TOC

Para ser caracterizado Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é necessário que haja obsessões ou compulsões graves o suficiente para causar um sofrimento ao paciente. Obsessões são pensamentos, sentimentos, ideias recorrentes e intrusivas (ou seja, invasivas, difíceis de controlar). Já a compulsão é um comportamento consciente, como contar, verificar, evitar, feito de forma a diminuir a angústia causada pela obsessão.

O TOC é muito mais comum em crianças e adolescentes do que se imaginava. Além disso, os sintomas costumam ser silenciosos, fato que atrasa o início do tratamento. Na população em geral, o TOC é o quarto diagnóstico psiquiátrico mais comum.

Para o tratamento, é necessário o uso de medicamentos, orientação familiar e acompanhamento psicopedagógico e psicoterápico visando melhorar a autoestima do paciente

Aos interessados neste Transtorno, recomendo a leitura do livro mostrado acima: O Homem Que Não Conseguia Parar, de David Adam. O autor foi vítima do TOC por vinte anos e, como muitos que sofrem deste transtorno, demorou bastante a aceitar a doença e a buscar o tratamento. É de fácil leitura, sem linguajar técnico ou jargões médicos.

Tags: Adulto, Criança e Adolescente, Idoso

Back to Top